Estou com grandes expectativas para ver o Factory Girl.
Primeiro, porque sinto um certo fascínio por artistas que morrem no auge da fama – eu sei que isto parece um bocado mórbido, mas é quando desaparece o artista que nasce o mito.
Segundo, porque sou uma apaixonada pela pop arte e por movimentos artísticos.
Terceiro, porque gosto de histórias de amor e este é um triângulo amoroso entre três personagens que me fascinam: Andy Wahrol, Bob Dylan e Edie Sedwick.

Aspecto negativo: para já o filme só está nas salas de Lisboa e do Porto.  

Anúncios